<$BlogRSDUrl$>

sexta-feira, fevereiro 27, 2004

Algumas notas a propósito do jogo contra o Man Utd

1º - Pressão alta conjugada com fantástica circulação de bola

Foi desta forma que o F.C. do Porto de Mourinho cresceu, ou seja, asfixiando o adversário, não o deixando jogar. Foi isto mesmo que se viu contra o Manchester. A circulação de bola foi espetacular. Havia sempre um jogador liberto e disponível para receber a bola e tocá-la de imediato para outro companheiro. Os laterais funcionaram como extremos pois subiam no terreno criando assim ainda mais linhas de passe. A equipa portista explorou sempre muito bem a subida do Paulo e do Nuno, apoiados dum lado por Aleni e do outro por Maniche, em triangulações bonitas que os fazia progredir no terreno. Pedro Mendes marcava o ritmo com passes precisos ora à esquerda ora à direita. Deco e Carlos Alberto eram os "mágicos" que procuravam criar espaços através duma finta inspirada para depois soltarem a bola no Benni. Esta forma de jogar encostou o Man Utd às cordas e quase que o colocou KO para a eliminatória. Mais um bocadinho de felicidade na finalização e poderiamos ter a eliminatória "no papo".

2º - O resultado

2-1 sobre o Man Utd é sempre um grande resultado pois é muito difícil vencer os ingleses. Este ano, na Liga dos Campeões, só tinham perdido um jogo, tal como o F.C. do Porto. No entanto, para passar a eliminatória, o F.C. do Porto precisa de fazer outro grande jogo. Só assim derrubará este gigante em sua própria casa. Mourinho já afirmou que o F.C. Porto vai jogar para ganhar o jogo. Aliás, nem sequer era imaginável ver este Porto jogar a 2ª eliminatória de modo a segurar o 0-0. A melhor solução é mesmo bater-se pela vitória como se se tratasse dum jogo que estivesse realmente a começar com 0-0.

3º - Estádio do Dragão

Começa a fazer-se história no Estádio do Dragão. Esta vitória perante o Man Utd ajuda a que os adeptos comecem a sentir cada vez mais aquela casa como a sua. Estas vitórias ajudam a criar um sentido de territorialidade. Desta forma, será cada vez mais difícil alguém nos vencer na nossa própria casa.


Comments:

quarta-feira, fevereiro 25, 2004

Só temos uma coisa a dizer

Eu e a Carla temos um orgulho imenso em ser portistas. Que grande jogo, que grande equipa, que grandes jogadores que o F.C. do Porto tem. Fizemos das tripas coração e vencemos o jogo. Poooooorrttooooooooooooooooooo. Mandamos no jogo e marcamos dois grandes golos.
Comments:

domingo, fevereiro 22, 2004

F.C. Porto - 3 V. Guimarães - 0

O F.C. do Porto não precisou de suar muito para levar de vencido o Vitória de Guimarães. Na primeira parte o jogo ficou acabado (golos de Maciel e Jankauskas) e, na segunda, os portistas limitaram-se a fazer uma gestão rigorosa da bola, chegando mesmo ao terceiro golo numa grande penalidade marcada pelo Benni. Impressionante foi o facto do Vitória não ter realizado uma única jogada de perigo ao longo de todo o jogo. Tudo bastante previsível.

Quem tem estado a fazer resultados menos previsíveis é o Man Utd que ontem, em sua casa, concedeu um empate perante o Leeds. Além disso perdeu Silvestre para o jogo contra o F.C. do Porto na Quarta Feira. O Man Utd está assim sem os dois centrais titulares pois Rio Ferdinand encontra-se castigado. Veremos na Quarta se o F.C. do Porto é capaz de aproveitar esta fragilidade.

A equipa que o Man Utd deve apresentar no Dragão é a seguinte:
Guarda Redes: Tim Howard
Defesa Direito: Gary Neville
Defesa Central: John O´shea
Defesa Central: Wes Brown
Defesa Esquerdo: Fortune
Médio: Nicky Butt
Médio: Roy Keane
Médio Ofensivo: Paul Scholes
Extremo esquerdo / direito: Ryan Giggs
Extremo direito / esquerdo C. Ronaldo
Avançado: Nistelrooy

Comments:

segunda-feira, fevereiro 16, 2004

Contagem decrescente para o título

Depois do jogo de ontem com o Benfica ficam a faltar 12 jogos (7 em casa e 5 fora no caso do Porto) para o fim do campeonato. Como disse ontem José Mourinho, antes dos embates com Sporting e Benfica o F.C. do Porto tinha uma vantagem de 5 pontos sobre o segundo classificado. Depois dessas duas deslocações a Lisboa o cenário é ainda mais animador porque a vantagem real sobre o Sporting é agora de 6 pontos e sobre o Benfica de 10. Quer isto dizer que o F.C. do Porto, agora que entramos na fase final do campeonato, encontra-se numa posição bastante confortável para renovar o título de campeão nacional.
Quanto ao jogo de ontem assistiu-se a uma primeira parte em que o F.C. Porto controlou as operações, não permitindo que o Benfica rematesse uma única vez à baliza de Baía, chegando mesmo à vantagem num pontapé de canto marcado por Deco e aproveitado da melhor forma por Costinha. Na segunda parte o jogo mudou de características pois o Benfica entrou muito mais agressivo chegando ao golo aos 50 minutos. Até aos 65 minutos o Benfica continou a controlar o jogo dispondo de duas grandes oportunidades para marcar golo. Numa delas a classe de Baía evitou os festejos benfiquistas. O resto do jogo já foi mais repartido merecendo destaque a grande oportunidade que Jankauskas teve mesmo no fim da partida e que poderia ter valido a vitória à equipa azul e branca.
Nota: à 22ª jornada o F.C. do Porto continua invencível na superliga.
Comments:

quinta-feira, fevereiro 12, 2004

Convocatória da selecção

O F.C. do Porto é a equipa que mais jogadores cede à selecção portuguesa para o jogo amigável frente à Inglaterra. São eles Paulo Ferreira, Ricardo Carvalho, Nuno Valente, Costinha e Deco. No entanto, continua a ser um "crime" deixar Baía e Maniche de fora.
Nota: Não esquecer que a surpresa desta convocatória, Hugo Almeida, também é portista. Encontra-se, no entanto, emprestado à União de Leiria.
Comments:
Meias finais da Taça

O que eu gosto neste F.C. do Porto de José Mourinho é que se nota que o F.C. do Porto é uma verdadeira equipa e não um somatório de bons jogadores. O todo é maior do que a soma das partes. Em Vila do Conde o F.C. do Porto jogou de início sem Sérgio Conceição, sem Deco, sem Baía, sem Jorge Costa, sem Maniche, sem Benni e sem Derlei. Uns por lesão, outros por castigo e outros ainda por opção. Mesmo assim a primeira parte do Porto foi muito boa tendo marcado dois golos (Costinha e Bruno). Na segunda parte houve o golo na própria baliza logo no primeiro minuto mas depois disso não mais o Rio Ave teve hipóteses de marcar. Quer isto dizer que a equipa portista está preparada para jogar com todos os seus jogadores pois eles vão integrar-se num esquema táctico orientado para a vitória.
E pronto, seguimos em frente para as meias finais.
Comments:

sábado, fevereiro 07, 2004

A 7 pontos

A vitória de 2-1 do F.C. do Porto e o empate do Sporting na Madeira fazem com que o campeonato esteja cada vez mais perto do clube azul e branco. Afinal de contas o F.C. do Porto ganhou 5 pontos nesta jornada, ou seja, os 3 da vitória e os dois perdidos pelo Sporting. Eu sei que já andava tudo muito excitado lá para os lados de Alvalade mas esta jornada faz com que os sportinguistas tenham que descer à terra. A verdade é que o campeonato da segunda circular está ao rubro. Como diz Dias da Cunha - É o sistema!!!


Comments:
F.C. do Porto vence caso Maniche

A Comissão Disciplinar da liga deu razão ao F.C. do Porto ao indeferir a pretensão do Benfica de anular o contracto que o clube azul e branco tem com Maniche. Como se tem visto nestes últimos tempos, fazer acusações é fácil, mais complicado é conseguir prová-las.
Comments:

sexta-feira, fevereiro 06, 2004

Afinal, o delegado não viu

Segundo os jornais desportivos de hoje de manhã, o delegado da liga, Paulino Leite Carvalho, não presenciou qualquer acto alegadamente atribuído a José Mourinho, como o rasgar da camisola de Rui Jorge. Numa segunda adenda ao relatório, Paulino refere que o seu relato escito baseou-se apenas em testemunhos de terceiros. A forma como a primeira adenda tinha sido redigida tinha deixado a impressão que ele teria visto Mourinho a rasgar a camisola. Portanto, Paulino só contou o que previamente lhe tinham contado os responsáveis sportinguistas, particularmente José Eduardo Bettencourt que, por sua vez, já tinha ouvido a história duma outra pessoa.

O episódio é revelador de duas situações.
1º A leviandade com que os dirigentes sportinguistas proferem acusações sem provas num espírito de impunidade que, há muito tempo, marca o futebol nacional. Bettencourt gosta de afirmar-se como um dirigente diferente dos restantes, mas, na verdade, à primeira oportunidade deixou cair a máscara.
2º Este delegado ao jogo deve ser imediamente destituído. Não tem credibilidade. Uma pessoa que muda a história três vezes (primeiro, não viu rasgar a camisola; depois já viu; e, mais tarde, voltou a não ver) não pode ser os olhos da Liga num estádio de futebol.
Comments:

quarta-feira, fevereiro 04, 2004

Parabéns!

O portista Benni McCarthy foi escolhido, esta semana, como o jogador do mês de Janeiro pelo Sindicato dos Futebolistas. Apesar de não ter sido titular em todos os jogos, o sul-africano está lançado para afirmar-se como melhor goleador da Superliga e, por várias vezes, tem-se revelado decisivo. Parabéns Benni!!!!!

PS: Fala-se muito em publicações desportivas e, quanto a mim, não é possível ignorar a competência do Terceiro Anel na Blogosfera. É já uma referência na informação desportiva. Vale a pena espreitar!
Comments:

segunda-feira, fevereiro 02, 2004

Porto - Man Utd

Agora que o F.C. do Porto tem o campeonato controlado é altura de começar a pensar no embate contra o Man Utd, pelo menos por parte dos adeptos. É que já estamos em Fevereiro e lá para o fim do mês, no Estádio do Dragão, vai acontecer o jogo que nenhum portista vai querer perder. Mas quais serão as hipóteses do Porto frente ao Manchester? Se é verdade que ter chegado aos oitavos de final foi um grande feito (estamos entre as 16 melhores equipas europeias desta época) também não deixa de ser verdade que se formos eliminados nesta fase ficaremos bastante desiludidos. A verdade é que os portistas já só pensam na passagem aos quartos de final e acreditam que se a equipa estiver ao seu melhor nível isso pode acontecer. E que esquema apresentará José Mourinho no Estádio do Dragão? Sem poder contar com Derlei, nem com duas das mais recentes aquisições (Maciel e Sérgio Conceição), como se apresentará a equipa? (Costinha está castigado para o jogo do estádio do Dragão):

Vítor Baía. Paulo Ferreira, Jorge Costa, Ricardo Carvalho, Nuno Valente. Maniche (mais recuado), P. Mendes (descaído para a direita), Aleni (descaído para a esquerda), Deco. Jankauskas e McCarthy.

Será esta a equipa? Tenho dúvidas que Jankauskas jogue de início ao lado de Benni mas parece-me que sem Costinha fica a faltar um jogador no meio campo para que Deco se adiante mais para a frente, tal como aconteceu com o Real. O Ricardo Fernandes e o César estão lesionados, o Carlos Alberto, tal como o Bosingwa, não acredito que façam parte do onze inicial. Poderá entrar de início o Marco Ferreira em vez do Jankauskas, um jogador de maior mobilidade mas que fica a perder para o lituano em termos de confronto físico com os poderosos centrais ingleses. Também não creio que Mourinho aposte no Bruno lá para a frente. Enfim, dúvidas que só irão ser dissipadas poucos minutos antes do jogo começar. Aceitam-se sugestões. Mais para a frente falarei da equipa do Man Utd.

Comments:
E a revalidação do título de campeão ficou muito mais perto

Depois do jogo de Alvalade a equipa do F.C. do Porto ficou muito mais perto da revalidação do título. A questão é que apenas a vitória poderia interessar ao Sporting pois permitia-lhe ficar a apenas dois pontos do F.C. Porto. Deste modo, a distância entre os dois primeiros classificados aumentou, na prática, para 6 pontos, pois não basta agora ao Sporting empatar a pontuação dos portistas no final do campeonato. Se isto acontecesse seria a equipa azul e branca a vencer pois derrotou nas Antas o Sporting (4-1) enquanto que o Sporting não foi além dum empate em Alvalade (1-1). A vantagem é toda nossa. O bi-campeonato ficou mais perto.
Comments:
«Claro que desminto»


«Claro que desminto.» A frase é de José Mourinho. O treinador desmente as acusações, feitas por Bettencourt no final do jogo Sporting - FC Porto. Eu acredito no treinador portista, embora não desculpabilize o estado de nervos em que se encontrava no final do jogo (apesar de ter razão nas críticas que fez ao árbitro). Quando assim é, mais vale recolher ao balneário e deixar que outros falem. Bettencourt contou o que outros lhe disseram. Em pose de chico esperto, não perdeu a oportunidade de tentar achincalhar José Mourinho, que estava fora de si, e foi fazer "queixinhas" aos jornalistas. Acho bem que o FC Porto não entre em novelas nem em troca de acusações. Havendo algo a reparar, o tribunal é o local indicado.
Comments:

domingo, fevereiro 01, 2004

Jogo de Emoções

Um empate e nada muda na classificação. O "jogo do título" foi interessante e teve emoção, apesar dos protestos disparatados dos jogadores, do "teatro" de Liedson e dos erros de Lucílio Baptista. O Sporting fez uma boa exibição e mereceu o empate, embora a grande penalidade, assinalada pelo árbitro Lucílio Baptista e concretizada em golo por Pedro Barbosa (Vítor Baía por pouco não defendeu), não exista. Nasce, também, de uma situação lamentável, em que os atletas cuidavam do estado de João Pinto. O árbitro esteve mal. Mandou executar o lançamento no momento em que muitos jogadores do Sporting e do Porto estavam aglomerados perto da linha, onde João Pinto se encontrava caído. Rui Jorge fez o que lhe competia e lançou a bola, desmarcando Liedson. Não contente com o erro cometido, Lucílio Baptista fechou a jogada com chave de ouro, assinalando uma grande penalidade num lance onde não há falta.
Mas, apesar dos erros, fica a análise do jogo:
O FC Porto marcou cedo por Jorge Costa, após o excelente cruzamento de Deco (que, ontem, esteve pouco em jogo) e aproveitando a falha de marcação de Miguel Garcia. O FC Porto entrou dominador na partida, fez o golo e retraiu-se, concedendo a posse de bola aos leões e procurando saídas rápidas para o contra-ataque que não foram bem sucedidas. Uma estratégia arriscada que poderia ter sido coroada de êxito, caso o meio-campo portista não estivesse, ontem, em dia "não". Maniche não se viu no jogo, deixou Miguel Garcia subir no campo e tentar os cruzamentos para a área; Costinha não esteve tão presente como é habitual e Deco também fez um jogo intermitente (acordou após o golo do sporting: quase aos 80 minutos). Só Pedro Mendes mostrou irreverência no meio-campo. Com espaços concedidos (coisa rara no FC Porto que, geralmente, é uma equipa pressionante e, muitas vezes, asfixiante para os adversários), o Sporting ganhou domínio do jogo na primeira parte. Um domínio inconsequente materializado em quase nulas oportunidades de golo. Fica na memória o cabeceamento de Silva por cima da barra e o penalti não concretizado por Rochemback. O brasileiro provou que é o pulmão e o cérebro do jogo leonino a meio-campo.
Na segunda-parte, a partida mudou de face. A táctica alterou-se e as duas equipas dividiram a vontade de domínio de jogo e as oportunidades de golo, embora, neste campo, o FC Porto conte com mais oportunidades. Ricardo fez três grandes defesas a um cabeceamento de Costinha, um canto directo de Deco e um livre ao ângulo do número dez portista. Sporting contou com o remate de Niculai e a grande penalidade inexistente. O FC Porto terminou o jogo à procura da vitória. Feito o balanço, o resultado é equilibrado.
Embora suspirasse pela vitória, o empate na casa do adversário directo (que perdeu nas Antas) é um resultado interessante e deixa-nos mais perto da conquista do bi-campeonato.

Notas finais: A exibição das equipas não merecia o desfecho do jogo. Todos têm o direito a indignação, mas José Mourinho muito nervoso passou dos limites. Não devia ter reagido a quente, não devia ter rasgado a camisola nem proferido tais palavras contra Rui Jorge. Se o fez, deve apresentar um pedido de desculpas pela exaltação, tal como endereçou a Fernando Santos no final da conferência de Imprensa. Apesar de ter razão, José Mourinho não pode reagir daquela forma exagerada... No entanto, melhor não foi o comportamento de Bettencourt. Numa pose de moralidade superior, surgiu na sala de Imprensa de semblante carregado, empunhando a camisola de Rui Jorge e, tal menino "bufo" que ouve e depois vai contar, fez um relato (verdadeiro ou não?) das palavras de Mourinho. Revela falta de nobreza e de carácter. As suas palavras tiveram apenas três propósitos: denegrir a imagem do melhor treinador português da actualidade, aludindo ao plano pessoal (resultante de um momento infeliz de grande nervosismo) e não à competência desportiva; desviar a atenção dos erros de arbitragem (mais uma vez) que valeram um ponto aos leões e tiraram três ao FC Porto; e ainda desviar a atenção dos adeptos do facto que só a vitória servia ao Sporting para a luta da conquista do campeonato. Fica o elogio a Fernando Santos que, tendo conhecimento da atitude de Mourinho, preferiu dizer apenas que o treinador se excedeu (o que é verdade) e não aproveitou o momento de nervosismo para achincalhar o colega de profissão.

Falta falar de Liedson que, juntamente com Silva e João Pinto, são especialistas em simulações. Para o brasileiro, tudo vale para vencer jogos. Na partida de ontem, Liedson passou quase todo o tempo a simular quedas e agressões. Tudo isto - atitudes reprováveis e de falta de fair play - ignorado pelo árbitro que deixou os amarelos dentro do bolso.
Comments:

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Site Meter